Rotura do Tendão Calcâneo

 

Um tendão conecta um músculo a um osso. O tendão calcâneo (de Aquiles), o tendão mais forte do corpo, passa pela parte posterior da perna e liga os músculos da panturrilha ao osso do calcanhar. O tendão de Aquiles é o principal responsável por levantar o calcanhar do chão durante a marcha.

 

A rotura no tendão de Aquiles pode ser parcial ou total, longitudinal ou transversal.

 As possíveis causas são:

  • Tendinose de Aquiles (inflamação crônica prévia)

  • Atleta de " fim de semana"

  • Encurtamento dos músculos da panturrilha

  • Trauma agudo

 

Sintomas

 

  • Sensação um "estalido" na parte de trás da perna

  • Dor, inchaço e sensibilidade na área do tendão de Aquiles

  • Dificuldade para caminhar e correr

  • Dificuldade de realizar ponta dos pés 

 

Diagnóstico

 

Alguns exames de imagem podem auxiliar , como a Ultrassonografia ou Ressonância Magnética, sendo solicitados de acordo com a necessidade e disponibilidade. Nestes exames, além da própria rotura, é possível avaliar também a qualidade do tendão, importante na programação do tratamento.

 

Tratamento não-cirúrgico

 

É possível tratar uma ruptura do tendão de Aquiles por imobilização do pé e do tornozelo, durante um período de tempo. Isto é geralmente seguido por órtese e fisioterapia intensa.

Se não houver degeneração ou encurtamento importe, este pode ser o tratamento de escolha

 

 

Tratamento Cirúrgico

 

O tratamento cirúrgico de uma ruptura do tendão de Aquiles tem como objetivo reaproximar as extremidades rompidas dos tendões.

Tradicionalmente, a reparação cirúrgica do tendão de Aquiles envolvia uma incisão longa na parte de trás da perna. No entanto, para os pacientes com a devida indicação, novas técnicas pouco invasivas, com uma pequena incisão são indicadas

. Isto permite utilizar instrumentação especial para reparar o tendão sem a necessidade da incisão tradicional, permitindo reabilitação precoce e um retorno mais rápido às atividades do que as técnicas mais tradicionais, além de menor chance de complicações de pele e infecção.

 

O paciente permanece sem carga com muletas e bota imobilizadora por 2 semanas após a cirurgia para assegurar que a cicatrização da incisão cirúrgica. Descarga de peso em um andador e fisioterapia intensiva começa em duas a três semanas após a cirurgia. A maioria dos pacientes está de volta às suas atividades em seis meses após a sua cirurgia. 

  • Whatsapp
  • Facebook
  • Instagram
  • Whatsapp